sexta-feira, 28 de abril de 2017

NA CONTA DO CONTRIBUINTE
João Eichbaum

O artigo 196 da Constituição Federal, entre vários outros, exibe a pobreza intelectual dos constituintes de 1.988: “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”.
Não, senhores. A saúde não é “direito”, coisa nenhuma. A saúde é, isso sim, um estado ou estágio, durante o qual os órgãos e respectivas funções de cada indivíduo da raça animal se comportam de acordo com as finalidades impostas pela lei da natureza.
A saúde não depende da Constituição Federal. Ela só depende da natureza. O que os constituintes quiseram dizer, mas não disseram, porque sua incapacidade de apreensão e expressão de conceitos não lhes permitiu, é que “a preservação da saúde é direito de todos e dever do Estado”.
Não bastasse a ambiguidade, ainda aparece avulso, desgarrado dos dois substantivos (direito e dever) que o precedem, o adjetivo “garantido”, estuprando o vernáculo com erro de concordância. Pior do que isso, só se apenas o “dever” fosse garantido, sem que o fosse também o “direito”.
No restante, o metafórico artigo 196 arrasta uma penca de substantivos, sem um verbo sequer que ordene qualquer coisa: agravos, acesso (universal e igualitário) ações, serviços, promoção, proteção, recuperação...
Nessa colcha de vocábulos costurada sem nexo, sem nada de concreto, de objetivo, de real, e da qual é impossível extrair, por falta de verbo, qualquer sentido imperativo, o Supremo Tribunal Federal enxergou uma ordem para que o Estado forneça medicamentos gratuitamente.  
E a partir daí, o Judiciário, desrespeitando os artigos 2º e 5º, inc. II da Constituição Federal, trata o Executivo como vassalo e vem bancando o bom samaritano, ou o Senhor da Vida e da Morte, com o dinheiro dos contribuintes, distribuindo “liminares” a rodo.
Graças a uma dessas liminares, um paciente acabou morrendo, depois de tomar apenas algumas doses do remédio, que a Justiça obrigara o Município de Novo Hamburgo a fornecer. A “liminar” teve um custo de R$ 115.000,00, que foi para o ralo: perdeu a validade a medicação não aproveitada, contida nas 24 caixas restantes.
O caso ilustra a advertência do dr. Paulo Hoff, diretor-geral do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, em entrevista à Folha de SP. Segundo ele, nem todos os tipos de câncer respondem ao medicamento usado e, sendo a decisão tomada por quem tem poucos conhecimentos médicos, ela “dificulta o planejamento, porque há mais de uma via de acesso”.
Moral da história: os erros dos que não sabem escrever, dos que não sabem ler, e dos que só sabem fazer de suas funções um exercício exacerbado de poder, acabam parando na conta do contribuinte. 

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Gonçalo Gonçalves  de MendOnça
Carlos Maurício Mantiqueira*

Há pessoas cujo nome parece predestiná-las a uma certa profissão.
Nosso herói epigrafado, carinhosamente chamado de “Gonça” pelos amigos, não foge à regra.
Houve um médico obstetra chamado Armando Nascimento.
Um motorista foi batizado como Sinésio Sinesíforo.
No caso atual de Pindorama, o canetador é medroso; mixo e temeroso .
Para os apreciadores de ópera, recomendamos “Os contos de Hoffmann” em que uma boneca mecânica (seria a tal amante ?) tem como Cãofidente a Bernardo. A impiíssima Olímpia está sem corda para continuar sua pantomima.
“Gonça” conhece melhor que ninguém ar artimanhas de de sua madrinha, ditta Onça.
Saberá com prudência lidar com o “semvergonça-mor”.
Prestes a trocar de causídico por outro japonês, Sugiro Kifuja, escafeder-se-á antes que a felina ruja.
Lembrem-se do ditado:
“Água de morro abaixo e fogo de morro acima, ninguém segura”.
Nem a mais morosa criatura.

*Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador
Fonte: Alerta Total


quarta-feira, 26 de abril de 2017

PENSAMENTOS DO RUI ALBERTO*
Tenho família e amigos, gente querida, incluindo alguns virtuais. Sei do que todos gostamos. Piadas, boas notícias, notícias sem compromisso, novidades, recordações, quitutes e todo esse tipo de conversa mole, social e gostosa, postas à venda não dão confusão nem produzem best-sellers...
Eu sei...
Mas as notícias correm à volta do mundo, os médicos sem fronteiras estão estressados, aumentam em milhões as crianças que sofrem de fome e perseguições, o mapa do mundo em guerra parece aumentar a cada dia, porque o essencial começa a não ser produzido, a procura na escassez gera conflitos.
Se não cuidarmos, as fronteiras podem aumentar nos mapas e as cores ficarem mais intensas...
Cuidar não significa entregar....

Deus é bom vivant, deus é socialista, compreensivo e fiel!!!!
Dia do juízo final, as almas todas reunidas na praça celestial, Deus chama um sujeito gordo, careca, barbudo, cara de pinguço irritado, copo na mão:
- Vem cá tu !!!!
- Eu ????
- Sim!...Tu mesmo que roubaste o povo, arruinaste o Brasil, e não te castigaram!
- Vais me castigar?
- Se eu te castigasse por gostares de grana, teria que castigar todos os Papas!
- Então o que vais fazer comigo???
- Vou te recomendar que troques de marca de cachaça. Pega mal pra quem tem tanto dinheiro...


*Leia mais em "bar do chopp Grátis"...

terça-feira, 25 de abril de 2017

ESQUEÇA
João Eichbaum

É chegada aquela hora em que você descobre a inutilidade da razão. Por mais que você lhe dê tratos, ela não consegue lhe responder, tendo como ponto de partida a escala dos valores, pelos quais se avalia o comportamento dos seres humanos: por que o cidadão cumpre o seu dever, mas o Estado não?
Faltam só três dias para acabar com sua tortura. O que eram horas de lazer se tornou tempo de desprazer: o horrífico imposto de renda. Eis que o termo final se aproxima e você sabe que, na última hora, tudo pode acontecer. No último dia, a internet fica congestionada, o computador congela, e você sente aquele suor frio, contando as horas, e depois os minutos, que o separam da multa.
Claro, você deixou para os últimos dias, porque nada o entusiasmava, nada o convidava à pressa. Quem é que tem pressa para pagar? E agora você descobre que abril é o pior dos meses do ano, o mês que passa mais depressa, porque o Leão da Receita Federal passa suas patas enormes nas folhas do calendário.
Já que é chegada a hora de se entregar à inglória tarefa de confessar tudinho à Fazenda Nacional, e o que mais lhe dá vontade é de beber, putear e blasfemar, o único recurso que lhe resta é escapar do fardo das más lembranças, porque a razão não lhe dá motivos de alegria.
Esqueça que você está declarando rendimentos. Você está apenas declarando o quanto ganhou para sustentar sua família, para educar seus filhos, para lhes dar saúde, para lhes garantir segurança. Você está apenas declarando o quanto ganhou para sobreviver e para pagar também IPTU, IPVA, ITBI, IPI, ISSQN, taxa de luz, taxa de água, taxa de lixo, ICM nos remédios, na comida, no lazer, no prazer, em outras miudezas do cotidiano, enfim.
Esqueça. Não pense nas indecências que esperam pelo seu dinheiro. Esqueça que ele vai pagar o esplendor da existência para a Marcela e o Michelzinho. Que ele vai pagar diárias, verbas de gabinete, transporte, subsídios, planos de saúde, aposentadorias, cabos eleitorais e coisas impublicáveis de deputados e senadores. Esqueça que ele vai sustentar a vagabundagem do MST, as bacanais da UNE e de outros profissionais da baderna.
Esqueça que você está pagando por alguma coisa que nunca irá receber.  Esqueça que sem imposto não haveria auxílio-moradia para juízes, promotores, procuradores. Esqueça que você paga por uma previdência precária, instável, que pode mudar de uma hora para outra, deixando sua velhice entregue às mãos do destino.
Esqueça, enfim, que você vive num país loteado por políticos, empresários e outros sacanas sem qualificação, que usam para negócios infames o dinheiro que a Fazenda  assaca de você. Esqueça tudo isso. É a única maneira de não ter pena de você mesmo e de fugir da implacável perseguição do fisco, que só pega peixes pequenos, da sua estatura.



segunda-feira, 24 de abril de 2017

PLANETACHO
Domingueiras
Vejam só
No Brasil existem até agora três formas de pagamento: no débito, no crédito e na propina...

INOCENTES
Hoje em dia todo mundo olha desconfiado para algum político que não esteja envolvido em nada...

DEPOIMENTOS
Então o sujeito pergunta durante o depoimento: “Seu Moro, não pode ser uma verdade e nove mentiras”?

SILVIO NA LAVA JATO
Sílvio Santos vem aí”, cantarolou o porteiro do prédio da Polícia Federal ao ouvir o boato de que o dono do SBT teria se reunido com Lula para salvar o banco Panamericano...

ANTONIO CARLOS
Será que Zago não corrige a zaga por alguma questão de gênero?

SE FOSSE NO FACE SÓ FALTARIAM AS NOVE VERDADES:

Alvo de inquéritos por corrupção e lavagem de dinheiro na operação Lava Jato, o senador Romero Jucá (RR) defendeu a continuidade e a rapidez das investigações da Lava Jato.

AQUI E LÁ

Após tiroteio, vida volta à normalidade na Champs-Èlysées...Diferente de qualquer de qualquer cidade brasileira, em que a normalidade é o tiroteio...

quinta-feira, 20 de abril de 2017

A LINGUAGEM DOS CIFRÕES
João Eichbaum
Alguns delatores parecem feridos pela vergonha da delação. Falam com a boca fechada, engolem sílabas, tartamudeiam, economizam gestos. Jamais alteram o som de voz. Nunca deixam extravasar outro sentimento que não seja o da humilhação. Agem como se sentissem ultrajados e diminuídos pela inclemência da Justiça

Há os formais, que usam gravata combinando com o terno. Esses não se adiantam. Limitam-se ao que lhes for perguntado e concentram a resposta em frases bem articuladas, com uma dicção perfeita, sem delongas, nem comentários. Parecem impassíveis, recitando um discurso decorado, cuidando para não resvalar em detalhes bandidos.

Mas há os exageradamente descontraídos, os que teatralizam suas confissões, dão de ombros para a ignomínia, e se comportam como se fossem os reis do baralho, exaltados pela certeza de que estão agradando.

Não os estorva o mínimo pudor, quando revelam o papel que representavam no esquema de corrupção. Não mostram um rego sequer de constrangimento no rosto, quando se referem aos apelidos dos delatados: a Amante, a Balzaca, a Feia. Tratam tudo com a maior intimidade.

Esse é o elenco do espetáculo da delação, que os noticiários de televisão têm apresentado. São criaturas amestradas no paraíso da opulência, o covil onde era tramado e reduzido a cifrões o crime, envolvendo próceres, empresários e políticos. Todos, de um jeito ou de outro, tímida, formal ou escandalosamente, falam a mesma língua: milhões, milhões, bilhões.

Esses numerais, que nunca fizeram parte do vocabulário do povo, correm no país do bolsa família, dos sem teto, dos sem terra, dos miseráveis, do SUS que não funciona, dos desempregados, dos barracos, dos bairros com esgoto a céu aberto, das estradas intransitáveis, da insegurança.

Mas tudo é possível, quando a democracia, mesmo alimentada pela miséria, é festejada com vivas à liberdade, porque aplaina o caminho para a depravação política.



quarta-feira, 19 de abril de 2017

PENSAMENTOS DO RUI ALBERTO*
Quando FHC diz que as Instituições têm que se adaptar ao novo mundo, FHC não tem culhão pra dizer que "Temos que deixar de ser corruptos"...
O mundo torrou o saco de "políticos eufemistas" que não dizem nem deixam de dizer, mas continuam levando bola... Lula continua solto!!!!
Leva esta pra casa, FHC! e vai te catar....

Moro - Bem Lula... O que lhe posso oferecer é uma escolha de prisão. Pode ser no Rio, S. Paulo ou na Papuda com os seus antigos companheiros...
Lula- Tais Brincando, guri!!! Eu não vou preso nem a pau! Nem que a vaca tussa ou dona encrenca se levante do tumalo...
Moro - E não vai porquê, pode-se saber ?
Lula - Claro que pode, meu caro Moro, juiz encasacado sem toga... Porque eu chamei o FHC, o Temer, o Malluff, o Pezão, o Paes, o Haddad, o Coisa ruim do Renan e do Cunha, aqueles barrigudo todo do Senado, da Câmara, e em especial para a amante de nariz empinado e disse-lhes: Segurem o barraco! Como chefão, quem arranjou a grana toda próces inte de obra que nem foi fazida fui eu!... Se eu for preso, faço acordo de delação e entrego vocês tudo, cambada de ingratos covardes!!!.. Segurem o barraco, Carai!
(não conseguimos pegar mais nada do papo aqui do estúdio... Mas Lula ainda não foi preso)

*Leia mais em "bar do chopp Grátis"...