quinta-feira, 22 de junho de 2017

PENSAMENTOS DO RUI ALBERTO*
Se eu fosse mulher mudava de religião... Cara de pau segregacionista.... Mulher não pode ser Papa nem sequer uma simples e reles "padre" de templos que cada vez mais ficam vazios...

Prendam o Dornelles e o Pezão... Ambos torraram o dinheiro público, e não pagaram ao pessoal. O Pedro Ernesto vai fechar. Pezão se fingiu de doente, Dornelles pediu grana extra ao Temer... Prendam o Temer, Lula, Aécio, FHC, Marina e Dilma!!!!
Precisamos de uma revolução que trancafie no xadrez essa cambada. Se deixarmos, roubam o Brasil do Mapa-Mundo.

FIM... SOMOS O QUADRO DA DOR
Brasil virou um buraco onde se perde tempo construindo uma nação de verdade.
Trabalhamos para sustentar ladrões.
Nunca seremos uma potência. Em nada! 
Seremos sempre um pais que não se leva a sério e por isso não se respeita.
Somos o retrato da decadência, o lar da impunidade, o pasto de drogas, da violência, de doenças que contaminam, das injustiças em todas as instâncias e estâncias. Um amontoado de terras que outros exploram e usufruem, menos o povo brasileiro.
Já fomos um dia o agradável pais do futuro, terra da felicidade.
Não somos todos culpados não!
Hoje se provou que não. Não temos nenhuma instituição de governo de que nos orgulharmos, exceto a PF até hoje..


*Leia mais em "bar do chopp Grátis"...

quarta-feira, 21 de junho de 2017

PERGUNTAS SEM RESPOSTAS
Carlos Maurício Mantiqueira*
Para que servem a Receita Federal, o Coaf e os tribunais de contas, incapazes de identificar a tempo, desvios bilhonários (ou trilhonários) dos cofres públicos?

Os inquisidores por que usam de rigor seletivo: protegem os amigos e denunciam os inimigos?

Os maus economistas nos escondem há séculos a verdadeira intenção dos poderosos: esfolar o povo contribuinte?

Por que ninguém (ou quase) está interessado em resolver as causas dos problemas do país e sim em ganhar tempo para que continue tudo como está?

Por que as “zelites” só fingem se preocupar com a possibilidade de mudar de país?

Segue uma pequena amostra de teatro do absurdo:

Uma jovem “perua” sai de seu clube elegante dirigindo um “carrão” importado. Para no farol e se aproxima da janela um mendigo de meia idade que lhe diz:

-”Dona, há dias que não como!”

-- Pois insista; regime é assim mesmo. Depois a fome volta “

Abre o sinal e ela se vai...

*Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador
Fonte: Alerta Total



terça-feira, 20 de junho de 2017

UM POVO ENTREGUE À PRÓPRIA SORTE
João Eichbaum

Volta e meia, chamado a dar explicações sobre passividade das forças armadas diante desse redemoinho político que está esfarinhando os valores da pátria, o comandante do exército responde candidamente, como um virtuoso abade em vida contemplativa: “estamos cumprindo a Constituição”                                                                                                                                                                             Mas, enquanto as autoridades militares “cumprem a Constituição”, na qual o que mais enxergam são as regras da disciplina e da hierarquia, autoridades civis que, por dever de ofício, deveriam pôr em execução os princípios constitucionais, fazem o contrário.

Quando ações do Poder Judiciário começaram a bater na porta do Legislativo, caçando réus lá dentro, a resposta veio em forma de retaliação: projetos de lei, encurtando os poderes de juízes, Ministério Público e polícia, e transformando em crimes a prática de alguns atos próprios desses cargos foram tomando conta da pauta.

O uso da atividade legislativa para engendrar vinganças rasteiras, assim como a venda de leis e de medidas provisórias, tais como foram denunciadas nas delações, estão longe de comprovar o pleno exercício dos poderes dentro dos princípios constitucionais.

Nesse jogo, a pátria fica sem “defesa”, seus bens são malbaratados. O vírus da corrupção infecta o sistema, provoca a hemorragia da confiança na classe política e a democracia se engasga com o veneno diluído da propina.

Para completar, aquele que, segundo o art. 142 da Constituição Federal, tão conhecido dos militares, é o chefe supremo das Forças Armadas, está enrascado numa investigação que lhe atribui corrupção, obstrução da justiça e formação de quadrilha. E. para se safar, ele está oferecendo cargos em troca de votos.

Quer dizer: Michel Temer, o Presidente da República, está se utilizando do poder que lhe confere a Constituição, para colher benefício pessoal, desobedecendo expressamente ao princípio da impessoalidade, que deve presidir a administração pública, conforme o artigo 37 da Constituição Federal.

Enquanto as autoridades das armas cumprem a Constituição, as de gravata se servem dela como prostituta, para satisfazer apetites pessoais. E para milhões de outros filhos, a pátria não passa de um país escuro e pérfido, sem educação, sem saúde, sem moradia, sem segurança e sem emprego: a Constituição não os acode.



segunda-feira, 19 de junho de 2017

PLANETACHO

NA CAMUFLA
Escutas revelaram esta semana  que Ricardo Teixeira pediu conselhos  a um dirigente espanhol também envolvido em corrupção no esporte sobre “locais seguros no mundo” para fugir. Ele deveria saber que o lugar é aqui mesmo no Brasil. Teixeira poderia misturar-se a uma multidão de corruptos.

JÁ NO RIO
Prefeito Marcelo Crivela decidiu reduzir investimento pela metade nos desfiles de escolas de samba em 2018. Bem, se com 100% da verba sai quase todo mundo pelado, imagine com a metade...

E AGORA
Se os vilões se multiplicam mundo afora, imagine  agora, que morreu Adam West, o mais famoso Batman dos seriados de TV dos anos 60

ESTE TRUMP
Em reversão de atos de Obama, o presidente Trump dificultará viagens a Cuba. Trump teme que em seu governo aconteça o inverso: a fuga de americanos para Cuba de balsa.

DIÁLOGOS INCOMUNS
Então Fernando Henrique falou para Aécio Neves: “Se precisar de meus conselhos,sinta-se à vontade. Eu não estou usando”.

CARTAZ
Um bom cartaz para pôr no Salgado Filho: “ Bem vindo ao Rio Grande do Sul, recue os ponteiros do seus relógio 20 anos.”

AS NEIRAS
 Por trás de um político de consciência limpa, existe alguém ruim de memória

Campeão mundial de preguiça mandou um representante buscar o prêmio

Quando comecei, eu não tinha nada, e ainda tenho a maior parte.


sexta-feira, 16 de junho de 2017

QUANDO O RIDÍCULO SE ENROSCA NA TOGA

João Eichbaum

O ridículo não é impedido de entrar nos tribunais, porque se enrosca nas togas. Ele, que nunca pede licença para entrar onde quer que seja, que se mete nas conversas sem ser chamado, que destrava a língua nas horas mais impróprias, pode se sentir muito à vontade entre deuses, tomando o lugar destinado às pompas e circunstâncias, onde têm assento as excelências na ciência do Direito.

Mas, o que é barrado geralmente é o senso do ridículo. E quando esse se ausenta, sua excelência, em pleno julgamento, com o peito ofegante, esbraveja, vomita a bile estragada pela ira, grita com o mundo, ignora os ritos processuais, treme os lábios como um bebê chorão, e chora mesmo, engolindo, por alguns segundos, sua empáfia.

Quando o cincerro da prudência e da boa compostura deixa de emitir seu alarme, o meritíssimo se entrega aos desvarios do ridículo, ameaça degolar detratores, invoca a lei do Profeta, mistura o Alcorão com a Bíblia, e puxa lá do fundo de sua sabedoria pensamentos que recita de viva voz e de corpo presente, para alegria dos editores da antologia do ridículo.

Togados deixados à mercê de sua inteligência, fora do alcance do radar do ridículo, estão sujeitos a estragar os pensamentos com frases emboloradas, provindas do desassossego febril do ego ferido, como essa: “se o Supremo Tribunal Federal me colocou na lista tríplice, é porque tenho saber jurídico e reputação ilibada”!

Só o senso do ridículo deixa as pessoas menos caricatas e as impede de ficar dançando ao som de disparates, para causar estranheza e arrancar interjeições.

Ridículo não combina com sabedoria, com circunspecção, com prudência, com educação e civilidade. A inteligência não convive com o ridículo, como o evitam também a dignidade e a elegância na expressão e no trato com interlocutores.

Por tudo isso, o ridículo deveria ser impedido de entrar nos tribunais desacompanhado do respectivo senso. Só assim, sabendo que, antes de começarem o julgamento dos outros, eles próprios estão sendo julgados, os juízes se comportariam como juízes. E nos poupariam de lembranças menos dignas, como a de comparar votos, sentenças e acórdãos com a necessária, mas indesejável função fisiológica de desocupar as entranhas.


quinta-feira, 15 de junho de 2017

LIÇÕES DA CRISE
Carlos Maurício Mantiqueira*
Acho que a crise está apenas no primeiro terço de sua duração.
Faltam, ainda, vários escândalos por aparecer.
Chegamos ao perigoso momento em que a população de bem entra em desespero. Sente-se órfã, ultrajada e abandonada por quem deveria intervir.
Questiona o patriotismo e a honra pessoal dos chefes.
Haverá explosão violenta da ira popular.
A economia informal mostrou-se muito maior do que se poderia imaginar. Assim não fosse, o povo já estaria passando fome.
O agronegócio, este sim é o Salvador da Pátria, apesar dos ataques continuados dos sem terra, dos semvergonhas e de setores do próprio desgoverno.
Os três poderes estão desmoralizados. Há muito tempo sabemos que o rei está nu.
Vivemos do fingimento de que as instituições estão funcionando.
Não estão!
Quando bandidos vandalizam prédios públicos sob o olhar impassível das autoridades é porque algo está podre; na Dinamarca de Shakespeare e alhures.
Na Pindorama de Macunaíma.
*Carlos Maurício Mantiqueira é um livre pensador
Fonte: Alerta Total



quarta-feira, 14 de junho de 2017

PENSAMENTOS DO RUI ALBERTO*

Lula e Dilma fizeram a maior negociata com a JBS, coisa de milhões diretos e bilhões indiretos.... o Meireles era presidente da "Holding" que ainda dirige a JBS e...
...E depois de "trair" Dilma, Temer coloca o Meirelles e faz "buzinesses" com a JBS.... Quer dizer... Pediu pra ser corno, traído...
 Qual o papel do chá de Marcela na vida do "mãozinhas", ainda é um mistério....

E a "alma" e o "espirito" como ficam????
Phineas Gage, o pioneiro em sobrevivência de cérebros perfurados com comportamento estudado, teve o cérebro perfurado por uma barra de ferro.
Recuperou-se totalmente, mas depois do acidente deixou de ser alegre e prestativo e passou a ficar hostil, agressivo e egoísta... Outros aspectos do comportamento mudaram... Mas ele não trocou de "alma" nem de espirito. Levou foi uma baita cacetada nos miolos. Isso foi em 1848. 

Para julgar como se quer não precisa de juiz.
Pega-se um bêbado, um drogado, um macaquinho ensinado que tira o "veredicto". Se eu tivesse um macaquinho desses, chamava Gilmar....

*Leia mais em "bar do chopp Grátis"...